Blogia
COMUNICAÇÃO E PATRIMÓNIO MUNDIAL - Blogue de Apoio à Tese de Doutoramento

Património Mundial Português

Comunicação Social Portuguesa dedica audiência nunca antes vista em torno de uma candidatura a Património Mundial

Reunião em Bali, na Indonésia
UNESCO decide este fim-de-semana se fado é património mundial

Este fim-de-semana o fado deverá ser considerado património cultural imaterial da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), que tem o comité intergovernamental reunido em Bali, na Indonésia, até dia 29, para apreciar 49 bens que querem entrar para a lista das tradições, conhecimentos, práticas e representações que fazem a matriz cultural de um país e que, juntas, formam uma espécie de tesouro intangível do mundo.
E o Museu do Fado, em Lisboa, vai estar aberto toda a noite (das 10h de hoje às 18h de amanhã), com exposições e concertos de entrada livre, para festejar.
São 24 os países que decidirão se o fado, que a candidatura formalizada em Junho de 2010 pela Câmara Municipal de Lisboa apresenta como "símbolo da identidade nacional" e "a mais popular das canções urbanas" portuguesas, passa a ser, ainda mais do que já era, de todos".
Canelas, Lucinda e Lopes, Mário (2011, Novembro 26). UNESCO decide este fim-de-semana se fado é património mundial. Extraído em 26 de Novembro de 2011 da versão IPhone do jornal O Público.

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres.

ALTERAÇÃO DA DATA DO CONGRESSO MUNDIAL DA ORGANIZAÇÃO DAS CIDADES PATRIMÓNIO MUNDIAL

A Organização das Cidades Património Mundial (Organization of World Heritage Cities - OWHC) informou, através do sítio on-line desta organização, da alteração da data do Congresso Mundial, que este ano terá lugar na Vila de Sintra, quedesta feita se ralizará entre os dias 22 e 25 de Novembro.

Esta organização, que tem como principais parceiros o Centro do Património Mundial da UNESCO, a UNESCO, o Conselho da Europa, o ICOMOS e o Organização Munidal do Turismo entre outros, congrega cerca de 125 cidades-membro cujo o seu centro histórico foi classificado como Património Cultural da Humanidade, incluíndo as cidades portuguesas de Angra do Heroísmo (1983), Évora (1986), Sintra (1995), Porto (1996) e Guimarães (2001).

Para mais informações consulte o sítio do OWHC - http://www.ovpm.org

Património Mundial - Procedimentos para a apresentação de candidaturas

Património Mundial - Procedimentos para a apresentação de candidaturas

1.    Para ser organizada uma candidatura, o bem deve figurar previamente numa Lista Indicativa enviada à UNESCO através das Comissões Nacionais da UNESCO.

 

As candidaturas dos bens constantes nestas listas são feitas pelos detentores dos bens, escrutinadas depois pelas Comissões Nacionais e, se o processo for considerado em conformidade com as normas, apresentadas ao Centro do Património Mundial da UNESCO pelo Estado-parte através da sua Missão Permanente junto da UNESCO. Sucessivamente as candidaturas são apreciadas por instituições associadas ao Centro: ICOMOS – International Council on Monuments and Sites e/ou IUCN – The World Conservation Union.

 

2.    Os pareceres destas instituições não são discutíveis com os estados proponentes e os que tenham assento no Comité do Património Mundial não podem pronunciar-se sobre o bem do próprio país.

 

3.    As candidaturas dos bens são submetidas ao Comité Intergovernamental do Património Mundial, que decide sobre o valor universal excepcional do bem em apreço. O Comité rege-se pelos seguintes princípios gerais, na selecção dos bens:

§         A Convenção prevê a protecção dos bens culturais e naturais de valor universal excepcional. Para a definição do valor universal excepcional, o Comité utiliza dois tipos de critérios: um aplicável aos bens culturais (i a vi) e outro aplicável aos bens naturais (vii a x);

§         Os critérios foram elaborados com vista a permitir uma apreciação completamente independente do valor intrínseco do bem, abstraindo de todas as considerações de outra ordem;

§         Serão feitos esforços para manter um equilíbrio razoável entre o número de bens culturais e naturais inscritos na Lista;

§         Recentemente, foi adoptada uma Estratégia Global que visa atingir um equilíbrio entre o número de bens culturais e naturais inscritos na Lista e também uma equilibrada representação geográfica. Assim, o número de candidaturas a apresentar anualmente por cada Estado-Membro reduziu-se para uma, com excepção dos países sub-representados, que poderão apresentar mais candidaturas;

§         A inscrição de um bem seleccionado será diferida até que o Estado proponente faça provas do seu empenho em proteger esse bem. Esse empenhamento pode tomar a forma de legislação, de atribuição de pessoal, de financiamentos e de um plano de gestão;

§         Sempre que um bem tenha sofrido uma deterioração que implique a perda das características que determinaram a sua inscrição na Lista do Património Mundial, aplicar-se-á o procedimento relativo à sua eventual exclusão da Lista;

§         Dado o elevado número de candidaturas de bens culturais recebidos, o Comité convida os Estados-parte a ponderar se o seu património cultural está já bem representado na Lista e, se assim for, a abrandar voluntariamente a sua taxa de candidaturas futuras. 

 

4.    A candidatura completa tem de ser enviada à UNESCO com dois anos de antecedência. Cada Estado-parte apenas pode apresentar uma candidatura de cada vez; excepcionalmente, poderá apresentar duas candidaturas, se uma delas for relativa a um bem natural.

 

5.    A mais recente Lista Indicativa dos bens portugueses, enviada à UNESCO em 2004, foi elaborada por um grupo de especialistas escolhido para o efeito pela Comissão Nacional da UNESCO. Esta Lista foi ratificada pelos três Ministérios que tutelam o processo, ou seja, os Ministérios dos Negócios Estrangeiros, do Ambiente e da Cultura. Encontram-se nesta Lista os seguintes bens: Arrábida; Baixa Pombalina de Lisboa; Buçaco; Costa Sudoeste; Fortificações de Elvas; Palácio, Convento e Tapada de Mafra; Universidade de Coimbra.

 

6.    Além da informação disponível neste site, poderá consultar também o site da UNESCO em www.unesco.org.

 

Extraido do sítio On.line da Comissão Nacional da UNESCO, Portugal: http://www.unesco.pt/pdfs/docs/Procedimentos_cand.doc, a 25/03/2007 

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres.

Património mundial português exposto em livro

A editora Pandora publicou o livro «Portugal, património mundial», que reúne os 13 locais nacionais classificados património mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Esta publicação inclui o mais recente local nacional classificado património mundial, o das vinhas da ilha do Pico, nos Açores.

O autor do livro é Paulo Pereira, considerado um dos maiores especialistas em património cultural português.

In Diário Digital

05-07-2004 15:19:10

Visite a página web da AMP (Área Metroplitana do Porto), relacionada com o Porto, centro histórico Património Mundial da UNESCO e conheça de forma pormenorizada todos as informações relativas ao património classificado portuense.
¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres